09 abril 2016

[Manga] Otomen



Vocês já ouviram falar de Otomen, certo?

Pois bem, Otomen foi a primeira resenha que eu fiz no blog, no caso do dorama e hoje, praticamente quatro ou cinco anos depois eu estou aqui para falar do manga.


O manga de Otomen chegou a ser publicado no Brasil durante um tempo, mas como a venda foi baixa eles encerraram no volume 7. O que acaba causando o seguinte: Se você quiser ler, ou você espera o fansub atual que faz terminar o projeto ou você vai ler no gringo. E foi isso que eu fiz, aproveitando para treinar meu inglês junto e vai ser uma daquelas coisas que eu vou reler futuramente, com o inglês melhor no caso.

Se você não conhece a história do Otomen: Asuka é um garoto feminino, ele gosta de coisas de mulher, ele tem hobbies de mulher também, maaaas ele tem que fingir ser um super machão que gosta de coisas de homem e só faz coisas de homem, porque sua mãe não aguentaria que ele fosse um homem feminino devido seu marido, pai de Asuka, que tinha os mesmos gostos revelar que "Eu sempre quis ser mulher" e assim ela impôs ao filho que se ele fosse só um pouco parecido com o pai dela seria a decepção da vida dela(além de fingir passar mal).


O manga conta com 18 volumes no total. Se você estiver com vontade da pra dar aquela maratonada nele.

Mas bem, vamos contar dele e como ele valeu a pena: O manga era muito engraçado, do começo ao fim ele foi engraçado. Tinham cenas tão absurdas que a unica coisa que me restava era rir delas. Mas elas não estregavam o clima ou aconteciam em exagero, estavam sempre na medida certa.

Depois nós vamos para os personagens, cada um deles me agradou de alguma forma e prendeu. Até mesmo o  Ariake, que enquanto foi meu amor na adaptação de dorama, foi alguém que eu quis bem longe no manga durante um bom tempo, até chegar um momento que você simplesmente se acostuma e quando nota ele te pega de alguma forma.


Todos os personagens tem questões mal resolvidas, cada um deles lidando com elas e aprendendo a superá-las com apoio dos outros. Trazendo grande lições sobre ser você mesmo durante o manga todo. Não só quanto a abraçar quem você é com seus hobbies e essas coisas, mas a aceitar os outros como ele são e não impor nada a eles.

Além disso o manga trabalha muito com esteriótipo de gênero, a Ryo que devia ser a bonitinha e fofinha na verdade é o maior "macho" do manga, Ela tem gostos considerados masculinos e muitas vezes faz um papel que seria masculino, enquanto o Asuka seria a menininha com os gostos que são esperados de uma garota e a personalidade. Se criando um casal "inverso". Esse tipo de coisa fez eu me apaixonar pelo manga lá trás, da primeira vez que eu li ele lá pelos meus 12 ou 13 anos, mesmo que só até o capitulo 3.

E voltando a falar dos personagens: O fato de cada um deles ter seus problemas, o fato disso ser desenvolvido e não serem personagens artificias é realmente muito importante. O Tachibana que é amigo do Asuka e da Ryo, que na história é um mangaka shoujo que escreve um manga baseado nos dois, é outro homem feminino que tem uma história interessante e problemas a serem resolvidos.


Você também tem um personagem que é extremamente alto, que parece um super valentão é um cara bondoso que ama flores, você tem o outro lider(acho que é isso) do clube de kendo de outra escola que é rival do Asuka no kendo, mas assim como ele tem gostos femininos, é apaixonado por maquiagem, sendo um melhor maquiador que muito maquiador no manga.

O manga vale por toda risada que ele vai te fazer dar, por toda lição que ele vai te ensinar e pelos personagens que você vai se apaixonar. E o romance também!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Pode deixar o link do seu blog ou qualquer coisa assim ai embaixo do comentário;
- Comentários ofensivos serão excluídos;
- Eu NÃO sigo de volta, se eu gostar vou atrás;
- E pra finalizar: Eu demoro, mas respondo os comentários.