26 setembro 2015

[Manga] Black Bird





Com 18 volumes, não se trata de um mangá convencional para garotas, tem romance e comédia, só que o drama é bem marcante. Acredito eu que o mangá foi lançado para um público mais maduro, já que tem certas cenas quentes com o casal principal, aos apreciadores de romance romântico picante, apresento-lhes Black Bird, uma história que gira em torno de folclore japonês, os youkais (nome geral para criaturas sobrenaturais japonesas).

Misao Harada é uma colegial que seria “normal” se não fosse atormentada por espíritos e demônios (ayakashis) desde os sete anos de idade, não é popular, tem dificuldade em matemática e duas amigas maravilhosas Mana e Kana. Guarda uma promessa feita por um garoto, seu vizinho e um pouco mais velho, que conheceu quando criança, de que ele voltaria por ela por um motivo, motivo esse que ela não consegue lembrar.



Ao completar 16 anos a promessa ainda é viva em sua memória, o primeiro amor e a esperança de que ele realmente volte mantinham-na firme na ideia de esperar pelo garoto. E ela termina por chegar a conclusão que a espera valeu a pena, porque Kyo Usui volta, mais lindo impossível! A relação dos dois é meio complicada, porque Misao não assume logo de cara que gosta de Kyo (até porque ele faz umas coisas que ela não gosta) e ele não é humano, mais um empecilho para que garota assuma o sentimento.

Kyo Usui é um tengu, mas diferente da definição japonesa, a autora (Kanoko Sakurakouji) deu uma bela aparência a eles (sim, ainda temos os servos do Kyo a citar), possuem apenas as asas e usam um bico falso quando na sua verdadeira forma, e não orelhas de elfo, pele vermelha, nariz grande e pontudo ou cabeça de corvo (não quero nem imaginar como seriam feios, obrigada Sakurakouji!).



Ele é lindo de morrer, chama bastante atenção na escola, o que faz com que Misao tenha certo ciúme dele, é engraçado como ainda assim ela não assume que gosta dele. No decorrer da história acontecem alguns imprevistos como tentarem matar, raptar, ameaçar a principal, a exemplos: um veterano popular se declarar para ela estando possuído, na tentativa de matá-la, Kyo chega para salvá-la e cuidar de seus ferimentos.

Aliás a história é cheia dos imprevistos e todos nominados: uma garota apaixonada e maldosa (serpente branca) – Kiyo; um rival no amor que é do clã dos youkos (raposas) – Kuzunoha; o irmão mais velho de Kyo, deposto do cargo chefe do clã – Soujo...



Soujo, Sagami, Houki, Buzen, Zenki, Jirou, Saburou, Tarou (esses três últimos são trigêmeos e umas gracinhas, tem 7 anos) são os servos de Kyo, eles tratam Misao por hime (princesa) e é cada um mais bonito que o outro, a principal até diz que parecem integrantes de um host club (estabelecimentos cuja principal atração são os anfitriões, homens e/ou mulheres treinados para entreter os clientes com conversas), haha. O interessante é que um deles tem uma noiva (não direi qual dos servos, pois é uma surpresa descobrir qual deles é). O nome dela é Ayame, que se torna uma superamiga da Misao, acho uma personagem bem alegre e divertida.

Recomendo o mangá muitíssimo porque gostei bastante, apesar de não ser fã de drama, a trama foi muito bem desenvolvida. Espero que o post tenha despertado nem que seja só um pouquinho do interesse de vocês, logo aviso: vale a pena dar uma olhadinha.

Texto também se encontra aqui.

6 comentários:

  1. Já ouvi falar de Black Bird há uns poucos anos, e graças aos comentários que a Hinata faz no seu próprio blog, sei do lado mais picante do shoujo ;) Mas até agora ainda não sabia bem do que tratava a história, nem da promessa que os protagonistas fizeram ou da habilidade de a rapariga vez ayakashis, ou mesmo das personagens realmente dignas de um host club >.< Realmente, ainda bem que a autora deu essa aparência aos tengus, e a arte é linda :3 Vou dar uma olhada sim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é bem picante e é isso que torna o shoujo diferente e marcante (apesar de que eu acho que deveria ser josei pela história e tal), dá uma olhadinha, vale a pena e a arte é linda <3

      Excluir
  2. Olá Lena >.<
    Eu já li uma parte do mangá e gostei. A história é boa e o romance também. Adoro essa temática envolvendo coisas sobrenaturais, ainda mais com um certo drama, bem, fiquei sabendo que numa hora a guria morre mas revive depois UHSUSHUH, pelo visto tem altas tretas nesse mangá!!
    Acho os traços dele legais também :3, já li outros mangás dessa autora (acho que é mulher) e curti bastante.

    Até mais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi a U-chan quem postou, haha.
      Que bom. Concordo, Nanda. Curto sobrenatural também, mas tenho pé atrás com drama, não gosto de algo muito dramático. Altas tretas²
      Sim, é bonito. É autora kkkk, ah só conheço esse .o.
      Até~

      Excluir
  3. ...É A U-CHAN QUE ESCREVEU ISSO NÉ? Sei lá, não parece o jeito que a Lena escreve, mas o nome n tá em lugar nenhum HSUAHSUAHSUAHUHSUA

    Mas enfim:
    Mano, eu comecei a ler Black Bird, mas eu nunca terminei de ler. É aquelas coisas que a gente teve que dropar (no meu caso o fansub BR largou porque começou a ser publicado) e depois passaram-se anos, o mangá finalizou e eu nunca fui caçar pra ler, mesmo conseguindo lê-lo em inglês. Lembro bastante coisas boas, e outras ruins porque eu não estava tão acostumada a ver um shoujo ter tanto sangue HUSAHUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSHAUSAHSHAU

    Mas... Um dia ainda espero minha vontade de ler vencer as outras coisas que eu tenho pra fazer e terminar de vez.

    Beijos~

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SIIIM! Não é? UASHHAUSAUHUH
      Termina, Miya-chan, é muito bom! É como eu disse em outro comentário, é shoujo, mas acho que deveria ser josei como Nana... Já que tem violência e sexo, mas... Fazer o quê? Essa é só a opinião de uma leiga, humilde opinião aliás kkk
      Bjoo

      Excluir

- Pode deixar o link do seu blog ou qualquer coisa assim ai embaixo do comentário;
- Comentários ofensivos serão excluídos;
- Eu NÃO sigo de volta, se eu gostar vou atrás;
- E pra finalizar: Eu demoro, mas respondo os comentários.