18 abril 2015

Precisamos falar de: Yaoi e seus problemas



Eu já tinha avisado que ia ter mais opinião no blog e vim falar para vocês sobre um assunto que ultimamente tem me incomodado mais do que já incomodava.

Antes de tudo: O que é yaoi? Basicamente é o nome dado para histórias dentro do mundo do anime e mangá que contém uma relação afetiva entre dois homens. Não sendo necessariamente sexual, mas apenas um relacionamento.

Se você caiu aqui por acaso, sim, eu gosto de yaoi. Mas não sou cega e vejo os problemas dele.


Conheço homens gays que não gostam de yaoi e o motivo se dá ao fato de ser uma fuga da realidade muito grande. Não entra só no "não existe preconceito", mas tem muita história que você vê mais uma relação heteronormativa onde trocaram a mulher por um homem. O que é heteronormatividade? É aquilo do homem e a mulher, cada um com seu papel, onde a mulher é inferior ao homem e uma outra série de coisas. É algo bem errado e preconceituoso. E eu vejo muito isso no yaoi, além de me desagradar já em histórias "normais".



Um problema grande é o uke e o seme. Por que? Heteronormativade de novo. Existem pessoas que tanto são passivas como ativas, e pessoas que são um só. Mas por que o uke normalmente tem que se menor e mais fraco que o seme? E o por que o seme tem que se grande e forte? Isso quando o uke não é mais novo e o seme mais velho. O grande problema e é esse modelo ser tão comum, sempre da mesma forma, existem casais assim, da mesma forma que tem casais equilibrados, ou totalmente diferente do esteriótipo. Isso também implica em personalidade, o uke normalmente segue para algo mais afeminado e o seme para algo mais masculinizado. Isso destoa da realidade sim e é um dos motivos que muita gente não gosta ou passa muito tempo caçando algo que goste.

Preconceito é outra coisa que é possível contar nos dedos quantas vezes já vir aparecer. Existe o fato de ter uma preocupação em várias casos em algo mais "publico". Isso me mangás, em fanfics e do tipo isso já diminui. Outra coisa que é englobada é que todo mundo é gay, não existe bi, não existe pan, não existe hétero. Existe todo mundo gay e só. É muito difícil uma história que englobe várias sexualidade. Porque eles são sempre gays? Por que o uke não pode ser bi? Por que o ativo não pode ser pan? Por que um deles não pode ser trans(que já não tem a ver com sexualidade, mas entro nisso depois)?

Eu entendo que as pessoas as vezes querem fazer algo mais leve, que fuja da realidade, porque alguém que passa todo dia por aquilo provavelmente não vai querer lembrar mais um pouco enquanto lê uma história que era para relaxar. Mas só mostrar que ele existe está tudo certo, não precisa ser o foco. Histórias que não se passam no nosso mundo tudo bem, mas algo que se passe aqui não posso acontecer como se isso não existisse.



E agora entramos naquele ponto que todo e qualquer fandom sofre, os fãs malucos. Você provavelmente já ouviu falar, ou passou pela situação que "Eu não gosto de fujoshi". Quando mais nova eu apenas ficava tipo "ok", ainda mais porque já veio mais de uma vez de gente que não gostava de yaoi mas se excitava com yuri e batia umas bronha para isso . Mas com o tempo, eu comecei a ver a ideia que as pessoas tem de fujoshi e fui entendendo melhor. A primeira coisa é que são consideradas malucas.

Um amigo meu me contou que durante um evento ele estava junto de outro amigo, andando e aproveitando. Veio uma garota do nada, e perguntou "vocês vão se beijar?" e ficou PERSEGUINDO os dois perguntando isso toda hora até ele ameaçar chamar o segurança do evento e mesmo assim ela ainda ficou um pouco próxima. O problema é que é esse tipo de guria que a maioria das pessoas veem como fujoshi, aquela que persegue, que fica forçando, que fica shippando a fechadura da porta com a maçaneta. E é errado, persegui pessoas, não façam isso.

Outro problema é que essa fujoshi normalmente é a mesmo que exige toda aquela heternormatividade na história. Ela não gosta de outra forma, porque é "nojento", não gosta daquele casal gay porque ele não é como os das histórias que ela gosta. Ela objetifica todo o relacionamento homoafetivo e esquece que boa parte não é real. Ela também pode ser do tipo que luta pelo movimento "GGGG". Gente, você não é obrigado a apoiar o movimento LGBT só por gostar de yaoi, seria bem interessante, mas ninguém te obriga. Mas se for para apoiar, o movimento não é só de homens gays, tem lésbicas, tem bis e tem pessoas trans.



Outra coisa que eu vi e ouvi também, que me deixou um tanto chocada, mais gente preconceituosa que gosta de yaoi. Que se você sair da formula vai dizer que é errado, que não pode, que você estragou tudo. O caso em especifico foi de uma garota que fez uma história yaoi e um dos homens era homem trans, ela perdeu leitores e veio gente dizer que não podia, que era errado, que não era mais yaoi. Pessoal, genitália não define gênero. Quem define seu gênero é você.

E mais um problema do yaoi. O foco em sexo. Na verdade isso é um problema que eu tenho visto em muita coisa, é o foco em sexo. Mas como estamos no yaoi, vamos tratar dos problemas aqui. Não existe chuca antes de tudo, o uke é mágico e é lubrificado naturalmente, não existe camisinha e não existe dst. Gente, se você não sabe o que é chuca, pesquise. Isso também são coisas incomodas. É como aquelas histórias que o cara e a mulher transam sem camisinha toda hora e ela nunca engravidou, sendo que ela não toma nenhum ato contraceptivo.



E o problema GIGANTESCO que engloba sexo. A cultura do estupro (posso fazer um post só disso). NÃO é legal um personagem ser abusado, não é legal transarem contra a vontade da pessoa. E não, a vitima não se apaixona pelo opressor. O nome disso é síndrome de Estocolmo. O ato de estupro é horrível, deixa traumas na vitima e não é algo legal. Repensem sobre isso, sério.

Existe mais algum outro problema? Sim, tem um outro, mas ele já parte para uma coisa mais pessoal e não a situação inteira em si e já é algo muito mais difícil de se ver no yaoi.

Não é porque uma história segue um esteriótipo que ela é necessariamente ruim. Existem histórias boas que o seguem. Entretanto erros no sexo e do tipo são bem menos perdoáveis. E quanto as fãs malucas, se acalmem e vejam que yaoi não é a melhor coisa do mundo. E podem parar com isso de "nojinho de yuri" e depois ir falar para quem não gosta de yaoi por que é "nojento" que a pessoa é homofóbica se você está no mesmo lugar que ela. Uma história ser yaoi não faz ela ser melhor que as outras, nem pior que as outras. Gêneros são gêneros, alguns agradam mais as pessoas, outros mais.

Só não sejam pessoas idiotas, respeitem a opinião dos outros. Saibam diferenciar as coisas e sejam felizes.

4 comentários:

  1. Yooooo belezura!?
    Olha, eu não poderia concordar mais com você! É EXATAMENTE ASSIM QUE ME SINTO! Principalmente em relação aos estupros! Sinceramente, eu não entendo o que tem de tão maravilhoso ver o pobre do Uke ser abusado a cada página, pois se fosse uma mulher no lugar dele, haveria o maior alvoroço, porém só porque ele é homem significa que não é estupro ou que pode ser estuprado!? Isso não tem a menor lógica! O que diabos tem de bonito ver alguém fazendo algo contra a sua vontade!?
    Outra coisa é o fato de que nesses animes/mangá o elenco todo é gay, não existem nem sequer mulheres no meio, não existe preconceito, não existem problemas, é claro que assim como você disse, aqueles que passam por essa situação não querem chegar e ter que ver toda essa problemática de preconceito num mangá que a principio seria para relaxar, porém não haveria problemas em abordar o tema de forma leve. Além, há várias histórias em que o Uke é a princípio hétero e acaba virando gay da noite para o dia. Esse é outro ponto que me incomoda um pouco, afinal ninguém vira gay assim do nada! Acho que até agora o único mangá/anime que soube trabalhar com esse aspecto e que foi coerente foi Love Stage, pois ambos protagonistas não se pegaram logo de cara, eles relutaram e tiveram toda uma guerra psicológica sobre a situação, principalmente o Seme que no início fez de tudo para esquecer o Izumi, ou seja, a relação deles não se formou da noite para o dia, e nem eles viraram gays da noite para o dia, foi tudo indo aos pouquinhos.
    Sobre as fãs malucas, felizmente nunca me deparei com elas, todas as fujoshis que conheço possuem uma boa mente e reconhecem todos os problemas que os yaoi possuem, porém já vi algumas pessoas tendo problemas com essas fãs escandalosas. Okss, que eu dou os meus surtos com a pegação gay e vivo falando bobagens em relação a isso, mas é apenas para descontrair, pois eu não saio por aí pedindo para dois caras desconhecidos se beijarem! Também não crítico aqueles que curtem yuri, até conheço fujoshis que shippam alguns casais yuris, e falando em yuri, não sei se você chegou acompanhar Avatar a Lenda de Korra, mas o final acabou com um casal Yuri, que no caso o casal era a protagonista e sua amiga.
    E por fim, o problema das surubas hards! De vez em quando é bom ler mangás mais pesados, porém eles acabam enjoando, eu sinto uma enorme falta de algo mais "sentimental", ou então eu tenho um enorme azar para caçar mangás yaois, pois ou é apenas um beijinho de nada ou então são dois caras no cio! Não acho nada meio termo.
    Enfim, vou ficando por aqui
    Kiss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cultura do estupro é simplesmente nojento. Não tem sentido nenhum aquilo parecer certo dentro do universo do mangá e ter MUITO mangá famoso com isso. E muita gente não enxerga, o que me deixa mega triste, mega triste mesmo. Sabe, pelo menos perceba que a obra que você gosta tem esse defeito.
      O elenco todo gay me sobe o sangue, principalmente por ser bi e saber que não se vira gay da noite pro dia, principalmente se era tão hétero. E sim, nunca tem mulheres, quando tem é mega rápido, ou ela é tipo o "problema" da história. E, realmente, nesse ponto até que Love Stage desenvolveu muito bem, eu tinha esquecido.
      Infelizmente eu já comparei com gente que chegava ao ponto de "gosto de yaoi, mas não de gays" e eu fiquei tipo "Que bosta eu ouvi?". É triste esse tipo de coisa.
      Fiquei sabendo sim fo final de Korra, só me falta saco para ver, já que já vi Aang inteiro mesmo.
      Sim cara, sexo em demasiado cansa. É MUITO difícil mangá que não tem isso de mais, quando não tem, mal beijo rola e você fica tipo "... ME DÁ UM MEIO TERMO POR FAVOR!"
      Obrigado pelo comentário, beijos <3

      Excluir
  2. Concordo super , porem eu sinto nojo de yuris machistas onde eles fazem as moças se pegarem td hr d forma absurda só pra agradar o publico masculino.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mano, Yuri pra publico masculino, pra fazer homi cis bater punheta é UM NOJO GIGANTE. Mulheres se pegando não é para agradar ninguém ou excitar, é só para elas, pro prazer delas.

      Excluir

- Pode deixar o link do seu blog ou qualquer coisa assim ai embaixo do comentário;
- Comentários ofensivos serão excluídos;
- Eu NÃO sigo de volta, se eu gostar vou atrás;
- E pra finalizar: Eu demoro, mas respondo os comentários.