31 março 2015

[Especial Ghibli] Only Yesterday (Omohide Poroporo)




E finalmente um filme (de novo) que não tem dedinho do Miyazaki. Hoje é a vez do Isao com o filme Only Yesterday ou Omohide Poroporo.

O filme é de 91, não veio pro Brasil e não duvido que seja o filme menos falado do estúdio.

Bora pra sinopse?

"Conta a história de Taeko Okajima, uma mulher de 27 anos e ainda solteira, com um trabalho burocrático num escritório em Tokyo, cidade na qual nasceu e cresceu. Quando criança, Taeko morria de inveja das amigas que podiam ir para o campo e visitar os parentes, no período de férias. Por não possuir parentes no interior, Taeko tinha de permanecer em Tokyo o tempo todo, sonhando com o dia em que, finalmente, poderia realizar seu desejo de conhecer o campo"



Eu não lembro depois de qual filme eu vi esse, mas eu lembro muito bem que foi um processo cansativo. O filme não é ruim, não entendam errado, mas ele tem um ritmo completamente diferente, ele é mais "parado". Como você notou, o filme envolve a ida ao campo e não sei mais o que, só que não é bem isso que você vai ver. O filme mostra duas épocas, a atual da principal e ela criança (se não me engano, seus 10 anos) e vai mostrando os desejos dela mais nova, como era a infância dela naquela época e algumas coisas que ela passou. O filme retrata muito passagens da vida, é o foco dele, mostrar um pouco disso e o desenvolvimento disso. Por isso quem estava acostumado com filmes mais agitados, pode não gostar.

Foi muito interessante ver alguns contrastes de como o pai da garota era e o tipo de família que ela tinha, para mim foi como ver algo bem arcaico e ia achar algumas coisas absurdas no dia de hoje. Mas aquela era a família da época (e eu acho coisas absurdas até nas dos dias de hoje). Também foi uma reflexão interessante de como a a pessoa muda, e ao mesmo tempo não muda, da infância a vida adulta.



Basicamente, você consegue de algum modo se enxergar no filme, ao mesmo tempo que você apenas assiste tudo. Lembra de todos aqueles pequenos conflitos da idade como vê que uma hora vai tudo passar e tudo aquilo ser apenas algo engraçadinho do passado.

E... O que estava rolando no estúdio? Kiki foi um sucesso tão forte que obrigou o estúdio a mudar, eles não tinham animadores fixos para ajudar, logo a primeira mudança foi contratá-los e de tempos em tempos chamar mais animadores novos. Isso praticamente dobrou o salário dos animadores e o dinheiro ficou um tanto mais escasso, mas o presidente do estúdio  (Yasuyoshi Tokuma) arcou com os gatos  e manteve tudo bem.



Mas então, este filme, que foi o filme mais visto em 91 deu um belo lucro e fez com que tudo ficasse tranquilo novamente. Mas é claro que a história continua, mas no próximo post.

Até~ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

- Pode deixar o link do seu blog ou qualquer coisa assim ai embaixo do comentário;
- Comentários ofensivos serão excluídos;
- Eu NÃO sigo de volta, se eu gostar vou atrás;
- E pra finalizar: Eu demoro, mas respondo os comentários.